...A sorte de uma criança.

 

Doces crianças indefesas
entregues ao seu próprio destino
rostos entristecidos pela sua sorte
puras e ingénuas na sua naturalidade
que não reconhecem
sequer a maldade que lhes fizeram
apenas sentindo a dor na sua pele

Caras esbofeteadas pela revolta
por ainda serem crianças
maltratadas espezinhadas
escorraçadas e violadas
pelos seus progenitores

Que lhes negam o direito do amor
gente malvada que não tem sentir
nem ver
O amor no rosto de uma criança
negando-lhes a sua dignidade
ainda em tenra idade
roubando-lhes a própria vida
por razões inexplicáveis

Gente sem escrúpulos
discípulos de Satanás
sem direito, a este ar que respiram
que mal poderá fazer uma criança
para receber tal sorte
de ser espancada até à morte

Rosto de criança apavorada
pela dor da violência infligida
no seu corpo frágil de tenra idade
sem conseguir fugir das mãos rudes
do seu carrasco, rendendo-se à sua morte

Que sorte malvada, a destas crianças
que não chegam a crescer
para ver a crueldade desta gente
que não merece viver
lhes negando o direito à vida
como a qualquer criança
que sorte esta, doce criança!?

Formar cidadãos com alto grau de responsabilidade social, capazes de transformar informação em conhecimento, utilizando adequadamente talentos humanos e tecnologias avançadas, promovendo resultados crescentes à sociedade. Evitando que as crianças sejam maltratadas e humilhadas pelos pais - Homenagem a todas as  crianças vitimas de maus tratos. </font></font>

publicado por Mário Feijoca às 00:44 | comentar | favorito