Amor do Tempo

 Distante vai o tempo já gasto
 desde que te conheci
 passeava a mão nos teus cabelos,
 quando te beijava estremecia
 
 Os teus belos cabelos loiros
 hoje já prateados p'lo tempo
 que não nos perdoou
 esta nossa pele já gasta
 que o destino nos beijou
 
 Restando-nos este amor firme
 neste  longo já nosso caminho
 abraçámos mutuamente nossas vidas
 nestes corpos já ressequidos
 mantivemo-nos sempre unidos
 
 Tudo abandonou e nos esqueceu
 envelhecidos na amargura da pele
 deste tempo, que por nós passou,
 em nada  nos perdoou só tu e eu
 
 Apenas o nosso amor ficou
 sempre igual nos acompanhou
 nesta nossa longa caminhada
 esta paixão ainda não findou
 
 Sentimos o mesmo amor
 só o tempo nos atraiçoou.
 
 Hoje olhamos para trás
 nessa mesma direcção
 lembramos com graça
 os beijos que trocámos.
 
 Carícias que hipotecámos
 corpos já esquecidos da beleza
 mas nada conseguiu derrubar,
 a estrutura deste amor nos uniu
 
 Beijava-te e estremecia
 como se ainda fosse hoje
 quando sinto os teus abraços
 tudo o que a vida nos levou
 Apenas nosso amor  ficou!

publicado por Mário Feijoca às 21:56 | comentar | favorito