27
Ago 06
27
Ago 06

A evolução do cérebro

e a importância de dormir e sonhar.

Ao nos olharmos hoje, devemos tentar repensar a evolução da nossa espécie. A extrema diversificação e complexidade que estamos sofrendo há milhões e milhões de anos. No evoluir da complexidade cerebral o cérebro mais primitivo se encontrava nos répteis, onde apenas existia o tronco cerebral e o tálamo. O tálamo incorporava as sensações do mundo exterior, visão, audição. E os núcleos da base eram responsáveis pelo comportamento motor e da acção. Assim este cérebro era chamado pré-cortical, pois ainda não havia a função cortical. O cérebro é formado por centena de milhões de células nervosas chamadas neurónios, e células de sustentação chamadas glias. Da ligação entre dois ou mais neurónios chamamos sinapses, e entre as sinapses existem mediadores químicos que carregam a mensagem de uma célula para outra. Este mediador químico pode ter função de excitação ou inibitória, daí o ser se preparar para fuga, defesa ou combate.
 
 A partir de então a córtex cerebral começou a se formar e na sua evolução foi denominado como: arquicórtex, paleocórtex e neocórtex. Sendo o último e o mais evoluído chamado manto cerebral. Composto por neurónios ou células cinzentas, seus prolongamentos chamados axônios também chamados de substância branca, compunham dando origem ao tronco cerebral. No entanto havia alguns neurónios entre a substância branca e a cinzenta chamados gânglios da base, responsáveis estes pela iniciação e controle dos movimentos. Nos mamíferos sabe-se que estes núcleos estão sobre o controle dos lobos frontais.
 
 O cérebro macroscopicamente lembra uma árvore, onde a substância branca forma o tronco e os galhos, a substância cinzenta composta pelas células nervosas (manto cerebral) lembra as folhas, e os núcleos da base lembram os frutos.
 
 Com o desenvolvimento mais pronunciado do neocortex, principalmente nos lobos frontais, parte mais anterior e superior do cérebro, o indivíduo começou a ter ciência da sua individualidade. Por exemplo, se um cão se mira no espelho este apresenta uma reacção de luta, por seu neocórtex ainda não estar bem desenvolvido. No entanto nos símios mais evoluídos, estudos feitos mostram que estes ao se mirarem no espelho tentam tirar qualquer adorno que estejam sobre eles como lenços, chapéus, manchas de talco ou tinta em seu pêlo. Mostrando apresentar uma melhor evolução do neocórtex e lobos frontais.
 
 Hoje comparando cérebros de humanos congelados há milhares de anos com os dos homens actuais, observamos que os daqueles eram mais planos sem muitos acidentes, como sulcos e reentrâncias, mais pronunciados quanto maior a evolução intelectual. Estes acidentes que chamamos de circunvoluções cerebrais, explicam o maior acervo de conhecimento, consequentemente regiões com maior numero de sinapses.
 
 Hoje temos conhecimento que quanto maiores as reentrâncias e circunvoluções cerebrais, mais inteligentes e criativos serão seus portadores.
 
 Os lobos frontais (porção mais anterior do cérebro) que há muito eram dados como regiões mudas, hoje temos plena ciência, serem a sede da nossa personalidade, a morada do Eu.
 
 Sendo dividido em metades, hemisfério direito e esquerdo, e inter conectados através de uma estrutura chamada corpo caloso. Sendo o hemisfério cerebral direito mais desenvolvido nas mulheres e em indivíduos dado a artes.
 
 O esquerdo é mais exacto e determinista sendo mais desenvolvido nos homens e matemáticos, nestes dois hemisférios existe uma área mais posterior motora, responsável pelo movimento contra-lateral do corpo.
 
 Hoje vemos várias patologias atingirem os lobos frontais, tais como: tumores, acidentes vasculares cerebrais, ferimentos por projecteis de armas de fogo ou traumas, e algumas doenças degenerativas com o mal de Alzenheimer. O resultado destas patologias resulta na perda do Eu, não podendo o individuo reconhecer seus familiares e lembrar da sua personalidade, agindo tal qual um robô.
 
 Denominamos aqui personalidade como vivências pessoais de toda uma vida, mais a herança que trazemos em nossos genes dos nossos antepassados.
 
 O individuo sem boa evolução dos lobos frontais, seria um individuo sem sonhos, fantasias e frustrações, emoções que particularizam cada ser. Daí a necessidade de toda pessoa sonhar, se interiorizar e se abstrair para ter sanidade mental. Quando sonhamos, resgatamos ao consciente as nossas aberrações sociais inconscientes, como traumas, frustrações, e desejos reprimidos. Conseguimos dar vazão ao lixo psíquico.
 
 Se não fosse o sonho seríamos todos psicóticos, pois não teríamos como dar vazão ao material inconsciente reprimido. Uma das particularidades da doença mental é a privação de sono, o stress e a dificuldade de sonhar. Então o individuo passa a projectar no presente as aberrações sombrias da mente. Daí ser o sono e o sonho um excelente agente terapêutico para as desarmonias da psique.
 
 A natureza é pródiga, quanto mais jovem o individuo maior a necessidade de sono, pois durante o sono é secretado o hormonio GH. Responsável pelo crescimento somático.
 
 Temos no sono quatro estágios de aprofundamento do sono e um estágio de sonhos, chamada fase REM, fase dos movimentos rápidos dos olhos. Onde os olhos viajam rapidamente de um lado para outro, procurando vasculhar a mente adormecida, em busca de lembranças e fantasias não resolvidas na vida consciente. Para tentar ser resolvida durante o sono, mesmo que o sonhador não esteja consciente deste mecanismo, trata-se de um mecanismo de protecção da psique.
 
 Conforme a idade vamos tendo menos necessidade de sono, nas pessoas saudáveis há um maior equilíbrio entre o consciente e o inconsciente, as energias conflituosas se casam no interior do ser. O yin e yang, ou seja a energia masculina e feminina. Este casamento é o cerne da felicidade interior que se torna exterior, nas palavras, nas acções e no amor a si e ao próximo. Em suma o encontro com o si mesmo, o self ou Deus interior de cada um de nós.
 
 Então me pergunto: A evolução do neocórtex e lobos frontais são um merecimento de encontrar o Deus interior? Será que todos devem ter este estagio de evolução para chegar até aí? Quem responde: A religião, a ciência, a arte, a vida? Ou o amor que aprendemos a receber e dar? O amor de Deus em nós?

  modem | internet rápida

SÓ O AMOR... de um ser
interessante
É
</strong>belo e excitante !
</span>

Von Trina

publicado por Mário Feijoca às 13:57 | comentar | ver comentários (2) | favorito
18
Ago 06
18
Ago 06

Folhas falsas...

As tuas Folhas soltas, folhas caídas, folhas amarelecidas que escreveram no tempo da vida.
Soltaram-se as amarras do cais, e naveguei por marés desconhecidas a destinos incertos.
Falhas nas esperanças das folhas soltas, recaíram nas angustias de hoje.
Folhas que levaram o vento da intranquilidade me motivaram  a traçar desenhos nas páginas amarelecidas.
Navego sem destino, contra correntes em águas turvas,  navego sem horizontes à vista.
Folhas soltas marcaram insalubres sabores nas esperanças de ancorarem em cais distantes.
Folhas soltas, dissolvem-se no tempo faltando fôlego para esta minha vida sem cor.

publicado por Mário Feijoca às 02:07 | comentar | ver comentários (2) | favorito