15
Out 06
15
Out 06

«Ana de Amsterdam»

Há dias atrás desfolhava o jornal expresso e deparei-me com um artigo da Rita Ferro Rodrigues sobre um blog "Ana de Amsterdam", aguçou-me a curiosidade e  fui dar uma espreitadela, dado ela fazer uma certa comparação com o blog do meu Pipi, só que este de caris masculino, mas o teor, segundo ela, era semelhante. Oh Ritinha, ou este artigo foi só para encher o teu espaço no expresso, ou então nunca viste o blog do meu Pipi a não ser o que te contaram dele. É que não há comparação possível e induz em erro quem o queira visitar, porque a qualidade deste, será certamente, muito menos agonizante e tem uma qualidade da escrita muito acima da média, tanto na abordagem dos temas como no geral...

Transcrevo o referido artigo na íntegra:

"Um blogue com bolinha encarnada, assinado no feminino por alguém que roubando o titulo a Chico Buarque se apresenta como "Ana de Amsterdam". Abro uma excepção para uma "blogger" que assina com pseudónimo porque o desassombro da escrita me parece interessante. Assim como a ideia de uma mãe de família e esposa dedicada viajar no teclado, sob anonimato, desta maneira «... desde pequena que os meus pensamentos são tudo menos castos. Aos seis anos já eu me masturbava a pensar em mamas e cus. Por volta dos dez roubava as revistas que o meu irmão escondia por baixo do colchão, muito pouco castas, e lia-as avidamente. Depois foi a adolescência. E depois o resto. Porém, desde há uns tempos para cá, a castidade deu conta dos meus actos e pensamentos, isso enfureceu-me. A castidade é uma coisa medonha. Só os parvos e infelizes são castos». (  http://www.ana-de-amsterdam.blogspot.com  )

Será que nos deparamos com um pipi ( http://www.omeupipi.blospot.com ) em versão feminina (e por isso realista)? Atenção: Ana escreve sobre retalhos da vida. E muito bem. O sexo é só mais um importante detalhe da vida de uma mulher que assume um estado de frigidez angustiante. Deambula entre um registo poético e comovente e um tiroteio brutal de agressividade e cinismo. É para mim a mais recente revelação blogosférica. Tenho a certeza de que vão espreitar.
Boas leituras.
Bons posts."
Assinado: Rita Ferro Rodrigues

Quem sou eu para avaliar aquilo que avaliaste? Agora, na certeza porém, a justiça está muito longe da realidade deste blogue. Porque senão vejamos; quem é que no mundo feminino comandado pelo masculino, terá a coragem de expor na opinião publica as suas deficiências traumáticas da adolescência num blogue, sem causar algum constrangimento, como a Ana o faz? Tu conseguirias Rita? Pois eu adoraria lê-las. Pois é, nem tu nem muito boa gente o conseguirá fazer... Afinal onde está o cinismo da Ana? 

publicado por Mário Feijoca às 16:42 | comentar | ver comentários (2) | favorito
10
Out 06
10
Out 06

Incoerências com Erva Doce...

LANÇAMENTO DE LIVRO

No Sábado, dia 14 de Outubro e 2006, pelas 18.30 horas, terá lugar o lançamento do livro "Canela e Erva Doce", no Bar Onda Jazz, no Campo das Cebolas.
A autora, Paula Raposo , nasceu em Lisboa, decorria o ano de 1954. Chegou a frequentar a Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, mas não passou do primeiro ano. Interrompidos os estudos, foi trabalhar para um banco; trabalho que deixou em 1987, para trabalhar num escritório de contabilidade. Hoje em dia, concilia a sua carreira de escritora e poetisa com actividade que continua a desenvolver nesse escritório. O seu primeiro livro, num registo marcadamente autobiográfico, foi editado em 2001, sob o título “Incoerências". Com este segundo livro, “Canela e erva doce”, Paula Raposo estrea-se na edição de poesia. A sua poesia é livre, sem deslumbramentos formais no que respeita a métrica e rima, contendo em si uma contemplação constante, um encanto místico, onde o amor está sempre presente.
A autora (in)define-se numa só frase: "Não sou definível, sou apenas uma mulher como as outras". ler mais
publicado por Mário Feijoca às 15:18 | comentar | ver comentários (7) | favorito