Swing, Menage e outras formas de prazer...

Apeteceu-me devanear por isso aqui vai, se quiserem comentem identificando-se ou não!!

Quando a rotina e a monotonia atingem a relação de um casal, está dado o sinal de alerta de que algo precisa ser feito para reoxigenar a união.

O Swing é uma das alternativas que vêm surgindo para o novo milénio, assumindo lugar de destaque como das mais eficientes. Erradamente definido como simples "troca de casais" o Swing é muito mais que isso: é o aprofundamento da cumplicidade, é a realização das fantasias dos casais, é o estreitamento das afinidades, um misto de libido e ciúme, enfim, é a prática do amor exercido em sua plenitude, sem desconfianças, sem traições, sem mágoa e sem mentira.

No amplo conceito de Swing encaixa-se a simples observação de outras pessoas fazendo sexo (voyeurismo), a transa do casal apenas, mas diante de outras pessoas (exibicionismo), a inclusão de apenas uma terceira pessoa na relação do casal, com ou sem bissexualismo (ménage-à-trois) e a troca de parceiros (swing) propriamente dita.

A prática do Swing deve ser feita por casais que tenham, previamente, conversado bastante e estabelecido os seus desejos, fantasias e, sobretudo, os seus limites.

O ambiente em que o Swing é praticado deve ser o mais aconchegante e discreto possível.

O clima de liberalismo não se confunde com falta de modos, grosserias ou contrariedade.

Os verdadeiros "Swingers" (praticantes) são aqueles que, com um simples olhar ou um leve toque, sabem reconhecer os limites dos outros. Os casais iniciantes devem optar por ambientes em que haja uma recepção discreta e uma inclusão amigável no grupo ou casais mais experientes.

Antes do Swing, o sexo foi desde sempre um vínculo natural : comemos quando temos fome e ficamos satisfeitos, dormimos quando estamos cansados e acordamos refeitos, mas quando alcançamos um orgasmo experimentamos um êxtase físico e mental completo. Daí que para os nossos antepassados considerarem esses sentimentos oriundos dos Deuses e usá-los para comunicar e adorar esses mesmos Deuses foi um passo óbvio.

As pinturas primitivas não deixam dúvidas de que desde a pré história as tribos usavam o ato sexual nas suas celebrações ritualistas.

Testemunhavam a sua reverência ao útero, à fertilidade das mulheres, e à sua capacidade de gerar a vida.

Você teria coragem ou já praticou Swing, Menage e/ou outras formas de prazer?

publicado por Mário Feijoca às 20:33 | comentar | favorito