Escassos Pensamentos...

Pode ser difícil expressar o que sinto, dado que as emoções têm uma natureza indomável, mesmo que tentemos racionalizá-las. O mais importante é admitir em nós mesmos o que se tenta em vão esconder. Ao olhar para dentro confronto-me com um poder interior que é capaz de superar as minhas mais difíceis adversidades. Muitas vezes é em momentos de crise que acciono essa capacidade de regeneração, de dar a volta por cima.
 
 O poder nasce da união de esforços. Pessoas que juntas podem realizar algo de muito importante, de carácter revolucionário e contestador. Este é o momento de mobilizar pessoas em torno de propósitos comuns. A fase  do ciclo astral remete a uma profunda inquietação emocional, e que atinge as nossas defesas, medos e vulnerabilidades. Não tentemos controlar o fluxo das coisas, saibamos fluir espontaneamente com a vida. A humanidade vive um processo de limpeza, que não é tranquilo, pois há muita resistência em aceitar a necessidade de mudanças em cada individuo, para que haja mudanças no colectivo. Tenhamos a coragem de transformar o que em nós está estagnado. Tudo chega ao seu momento de auge, e então a uma situação de declínio, onde é preciso avaliar o resultado dos nossos actos e escolhas. Este é o movimento incessante da vida.
 Não queiramos controlar o que está além do nosso controle. Não se deve ter receio de mudanças, pois elas significam viver mais de acordo com a essência, e estar aberto às inovações e experiências.
 
 As mudanças não devem ser apenas externas, elas devem mobilizá-lo interiormente. Intensas emoções que podem ter estado durante muito tempo soterradas vêm à tona, e tornam difícil a arte da convivência pacifica. É preciso reconhecer essas emoções, para então transmutá-las. O que parece veneno, pode ser na verdade a cura... Tal como a reciclagem pode dar aos materiais uma nova utilidade, assim deve ser com os recursos que nós temos à disposição, libriano. Cabe agora fazer uma renovação, desapegando-se, e reconhecendo o que deve ser transformado.
 
 Mudar a realidade é modificar a forma como a percebemos. As pessoas podem passar pelas mesmas situações, mas encará-las de modo muito distinto. Saiba reconhecer o que pode ser mudado na mentalidade, favorecendo o nosso crescimento. Não se engane, não nos iludamos. Saberemos melhor do que ninguém que as coisas não são o que aparentam ser. Usa sempre esta habilidade de penetrar no que está por detrás das aparências para perceber o que está acontecendo emocional e espiritualmente; Anoitece muitas vezes durante o dia.

[Error: Irreparable invalid markup ('<a <div>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

<IMG height=355 src="http://img.photobucket.com/albums/v416/ARQUINORMA/BlueNight_bild2.jpg" width=355 align=left> <P align=justify>Pode ser difícil expressar o que sinto, dado que as emoções têm uma natureza indomável, mesmo que tentemos racionalizá-las. O mais importante é admitir em nós mesmos o que se tenta em vão esconder. Ao olhar para dentro confronto-me com um poder interior que é capaz de superar as minhas mais difíceis adversidades. Muitas vezes é em momentos de crise que acciono essa capacidade de regeneração, de dar a volta por cima. <BR> <BR> O poder nasce da união de esforços. Pessoas que juntas podem realizar algo de muito importante, de carácter revolucionário e contestador. Este é o momento de mobilizar pessoas em torno de propósitos comuns. A fase  do ciclo astral remete a uma profunda inquietação emocional, e que atinge as nossas defesas, medos e vulnerabilidades. Não tentemos controlar o fluxo das coisas, saibamos fluir espontaneamente com a vida. A humanidade vive um processo de limpeza, que não é tranquilo, pois há muita resistência em aceitar a necessidade de mudanças em cada individuo, para que haja mudanças no colectivo. Tenhamos a coragem de transformar o que em nós está estagnado. Tudo chega ao seu momento de auge, e então a uma situação de declínio, onde é preciso avaliar o resultado dos nossos actos e escolhas. Este é o movimento incessante da vida.<BR> Não queiramos controlar o que está além do nosso controle. Não se deve ter receio de mudanças, pois elas significam viver mais de acordo com a essência, e estar aberto às inovações e experiências.<BR> <BR> As mudanças não devem ser apenas externas, elas devem mobilizá-lo interiormente. Intensas emoções que podem ter estado durante muito tempo soterradas vêm à tona, e tornam difícil a arte da convivência pacifica. É preciso reconhecer essas emoções, para então transmutá-las. O que parece veneno, pode ser na verdade a cura... Tal como a reciclagem pode dar aos materiais uma nova utilidade, assim deve ser com os recursos que nós temos à disposição, libriano. Cabe agora fazer uma renovação, desapegando-se, e reconhecendo o que deve ser transformado. <BR> <BR> Mudar a realidade é modificar a forma como a percebemos. As pessoas podem passar pelas mesmas situações, mas encará-las de modo muito distinto. Saiba reconhecer o que pode ser mudado na mentalidade, favorecendo o nosso crescimento. Não se engane, não nos iludamos. Saberemos melhor do que ninguém que as coisas não são o que aparentam ser. Usa sempre esta habilidade de penetrar no que está por detrás das aparências para perceber o que está acontecendo emocional e espiritualmente; Anoitece muitas vezes durante o dia. </P><P align=center><SPAN style="FONT-SIZE: 85%"><A <div><EMBED src=http://www.youtube.com/v/XChbeVki1fc width=280 height=230 type=application/x-shockwave-flash wmode="transparent"></A></SPAN></P>
publicado por Mário Feijoca às 19:43 | comentar | favorito