Eu vejo sapos...

 


Serei eu diferente d'outros?
Se calhar sou!..
Ouço grilos nos ouvidos
vejo sapos verdes,
à frente dos meus olhos.

Ou serão rãs?..
Já não sei o que são,
porque só vejo coisas
que os outros não vêem.

Desvio-me por caminhos
que não vão dar a vocês,
certamente não será por isso
que irão ficar sozinhos...

Poderão muito bem fazer,
companhia às rãs,
e imensos sapos que param
nos charcos, e esperar!

Esperar, por outra manhã,
que o sol brilhará.
Só vejo sapos ou rãs.
Noites, tardes, ou manhãs!

SAPOS Logo

publicado por Mário Feijoca às 10:52 | comentar | favorito